Hi, what are you looking for?

Brasil

Especialistas defendem diagnóstico precoce e atendimento multidisciplinar para câncer de cabeça e pescoço

28/06/2024 – 11:33  
•   Atualizado em 28/06/2024 – 19:20

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

José Guilherme Vartanian: maiores fatores de risco são evitáveis

Especialistas defenderam, durante seminário nesta sexta-feira (28) na Câmara dos Deputados, o diagnóstico precoce e o atendimento multidisciplinar nos casos de câncer de cabeça e pescoço, de importante ocorrência no Brasil e no mundo.

O médico José Guilherme Vartanian, 1º vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, disse que, no mundo, esses cânceres afetam 7% da população. No Brasil, nos homens, 4,6% dos casos totais de câncer são de cavidade oral e 2,7% de laringe; nas mulheres, 5,8% afetam a glândula tireoide.

Vartanian destacou que os principais fatores de risco são evitáveis. “Além do consumo de tabaco e de álcool, nos últimos 20 anos houve aumento significativo de casos de câncer de orofaringe causado pelo vírus HPV, geralmente transmitido pelo contato sexual desprotegido”, apontou.

“Sabemos que, nas condições iniciais, o tratamento é muito mais fácil e barato”, ressaltou ele ao defender o diagnóstico precoce. “Hoje, é interessante ainda a disseminação da abordagem multidisciplinar, com a participação de diferentes profissionais e baseada nas melhores evidências científicas disponíveis”, explicou.

Elio Rizzo / Câmara dos Deputado

Weliton Prado propôs a realização do debate na Câmara

Para o dirigente da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, ações como a campanha Julho Verde, destinada à conscientização da população, e avanços na formação de profissionais da saúde poderão auxiliar na redução da atual taxa de diagnóstico tardio, correspondente a cerca de 70% dos casos.

O deputado Weliton Prado (Solidariedade-MG), presidente da Comissão Especial de Combate ao Câncer no Brasil, sugeriu a realização do seminário. Um colegiado semelhante na legislatura passada resultou na Lei 14.758/23, que criou a Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Eu que cuidei do meu pai, ele teve várias sequelas, precisou fazer reabilitação, sei o que é o sofrimento”, afirmou Weliton Prado. “Graças a Deus, hoje temos a política nacional, já em fase de implementação”, comentou o parlamentar.

Participaram representantes da Associação Brasileira de Câncer de Cabeça e Pescoço; do Grupo Brasileiro de Câncer de Cabeça e Pescoço; do Instituto Lado a Lado pela Vida; e das sociedades de Oncologia Clínica e de Radioterapia.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Marcelo Oliveira

source
Com informações da Câmara Federal dos Deputados

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You May Also Like

Uncategorized

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Uncategorized

At vero eos et accusamus et iusto odio dignissimos ducimus qui blanditiis praesentium voluptatum deleniti atque corrupti quos dolores.

Uncategorized

Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt.

Uncategorized

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae.