Hi, what are you looking for?

São Paulo

Educação de SP paga R$ 208 milhões em bônus a servidores da rede estadual





Bonificação será paga às escolas que alcançaram as metas do Idesp no estado; valor médio é duas vezes maior do que o pago no ano passado



A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) pagará em julho R$ 208 milhões em bônus a aproximadamente 39,2 mil servidores de 767 escolas que atingiram as metas ouro (537) e diamante (230) no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo). O índice é formado a partir das notas de 2023 do Saresp, que avalia o rendimento das escolas.

O valor médio é mais do que o dobro pago na última edição do bônus, referente ao resultado de 2022. Na ocasião, os servidores receberam em média R$ 2.425. Agora, o montante será de R$ 5.328. O maior bônus pago a um funcionário da rede será de R$ 35,4 mil. Outras 1.363 pessoas receberão entre R$ 15 mil e R$ 30 mil.

As 767 unidades estão localizadas em 21 diretorias regionais de ensino. Para o pagamento de bônus, além dos resultados de aprendizagem, as unidades de ensino precisaram cumprir outros requisitos, como a frequência de estudantes e ainda a participação nas avaliações da rede, como o Saresp e o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), do governo federal. O bônus chamado diamante será pago para quem alcançou 100% das metas; quem chegou a 50%, receberá o bônus ouro.

LEIA TAMBÉM: SP faz convênio com 365 cidades e reforça ações para alfabetização na idade certa

O pagamento deste ano ainda está atrelado ao desempenho dos estudantes nas disciplinas de língua portuguesa e matemática. A partir de 2025, com base nos resultados do próximo Saresp, a aferição das metas levará em consideração metas individuais de professores de todas as disciplinas avaliadas, além dos objetivos das escolas. O Saresp será aplicado no final do ano.

“O pagamento do bônus reflete os resultados das avaliações, ele corrobora com o diagnóstico que foi levantado dentro dos primeiros seis meses [de gestão]. Desde então, a Secretaria da Educação tem adotado uma série de medidas para melhorar o desempenho da rede”, afirma o secretário-executivo da Seduc-SP, Vinícius Neiva.

Neiva cita iniciativas como a nova matriz curricular, que aumentou a carga horária das disciplinas de língua portuguesa (60%) e matemática (70%); o programa de recuperação semestral e de professores tutores para recomposição da defasagem escolar; o Alfabetiza Juntos, que tem meta de 90% de alfabetização de crianças no 2º ano até 2026 em parceria com os municípios; o Provão Paulista Seriado, que garante vagas nas universidades públicas de São Paulo e incentiva os alunos da rede a se dedicarem mais aos estudos; além de outras ações implantadas com objetivo de tornar a escola mais atrativa, como o Ensino Técnico, as Olimpíadas de Matemática e de Redação.

“Esse conjunto de políticas é pensado não apenas na rede estadual. Ele é pensado na rede de todo o estado de São Paulo, inclusive com os municípios, desde a pré-escola até a entrada e permanência dos estudantes na universidade”, completa Neiva.

source
Com informações do Governo de São Paulo

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You May Also Like

Uncategorized

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Uncategorized

At vero eos et accusamus et iusto odio dignissimos ducimus qui blanditiis praesentium voluptatum deleniti atque corrupti quos dolores.

Uncategorized

Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt.

Uncategorized

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae.