Hi, what are you looking for?

São Paulo

Palácio Boa Vista celebra 60 anos com novas exposições e atividades culturais





Inaugurado em 1964, Palácio recebe durante todo o mês de julho 11 obras de Tarsila do Amaral, artistas contemporâneos, oficinas e bate-papo



Palácio Boa Vista, em Campos do Jordão, recebe autorretrato de Tarsila do Amaral

O Palácio Boa Vista, localizado em Campos do Jordão, comemora 60 anos no mês de julho e recebe a população com duas exposições a partir de amanhã (6). Com 11 obras de Tarsila do Amaral, a mostra “Centenário Autorretrato I de Tarsila do Amaral” traz um panorama da produção da artista, passando por suas diferentes fases, que vão desde sua formação até meados dos anos 1950.

Já a mostra “Olhar a Terra, Ver o Céu” inaugura uma nova sala do palácio dedicada a exposições temporárias de artistas contemporâneos convidados, reunindo nessa primeira oportunidade 59 paisagens em pequeno formato feitas por quatro artistas contemporâneos.

Exposição “Olhar a Terra, Ver o Céu”, no Palácio Boa Vista, em Campos do Jordão

Além das exposições, serão realizadas atividades educativas e culturais gratuitas nos finais de semana, com oficinas e bate-papo com a curadora e os artistas convidados. O palácio está aberto de quarta-feira a domingo, das 10h às 12h e das 14h às 17h, com permanência até às 17h30.

“É um importante equipamento cultural da cidade de Campos Jordão e pretendemos ampliar sua ação com a sociedade, trazendo artistas contemporâneos e potencializando atividades que tornem esse espaço parte do dia a dia da população jordanense e ampliem sua importância cultural e turística”, explica a Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios, Rachel Vallego.

Palácio Boa Vista completa 60 anos desde sua inauguração

Construído para ser a residência de inverno oficial do governador, em 1970 foi declarado “Monumento Público do Estado de São Paulo” e se tornou palácio-museu aberto à visitação pública, recebendo no mesmo ano, em seu salão nobre, o primeiro evento “Concertos de Inverno”, que viria a se tornar o atual “Festival de Inverno de Campos do Jordão”. Desde então, segue promovendo arte, cultura e história às milhares de pessoas que o visitam todos os anos.

Currículo da Curadora

Rachel Vallego é a Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo desde setembro de 2023. É Doutora em Estética e História da Arte pela Universidade de São Paulo (2019), mestra em Artes (2015) e graduada em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (2012). Realiza pesquisa sobre arte moderna e contemporânea, com ênfase nos processos de consagração do Modernismo e o mercado de arte durante a década de 1970.

Entre 2016 e 2018 foi assistente de curadoria de Denise Mattar. De 2020 a 2023 foi Coordenadora de Conteúdo para Base7 Projetos Culturais, realizando exposições nacionais e internacionais como: “Brasilidade Pós-Modernismo” (2021-2022); “Ideias: O Legado de Giorgio Morandi” (Prêmio APCA melhor exposição internacional 2021); “Chiharu Shiota Linhas da Vida” (2020), no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

Em 2021, participou do grupo de curadores da exposição “Projetos para um cotidiano moderno: Brasil 1920 – 1960”, MAC-USP. Pesquisadora para exposição “Moderno Onde? Moderno Quando? A Semana de 22 como motivo”, com curadoria de Aracy Amaral e Regina Teixeira de Barros, realizada em 2021, no MAM-SP. Em 2022, foi assistente de curadoria de Aracy Amaral na exposição “José Cláudio: uma trajetória”, na galeria Nara Roesler; curadora da exposição “EntrePanos: rupturas do moderno e contemporâneo”, na Casa Fiat de Cultura, BH e recebeu Menção Honrosa no concurso APEX Brasil “EXPO OSAKA 2025”, pelo projeto de curadoria para o escritório ARQBR. Em 2023, foi curadora adjunta de Ana Avelar na exposição “Ohtakes: Abstração Intuitiva”, realizada na Casa Caldas, Brasília, e curadora da exposição “Rastro dos Restos”, de Ricardo Ribenboim, no MAC-USP.

Coordenadora de projetos e produção do grupo de pesquisa Academia de Curadoria, UnB, responsável pelo desenvolvimento do projeto ARTEMIDIAMUSEU, coleção de arte digital para o Museu Nacional de Brasília, realizando as exposições virtuais “Segue em anexo”, “Arquivo Indisponível”, “Aceitar e Continuar” e a exposição presencial “Atualização do Sistema”, no Museu Nacional de Brasília, de dez/2023 a mar/2024.

source
Com informações do Governo de São Paulo

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You May Also Like

Uncategorized

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Uncategorized

At vero eos et accusamus et iusto odio dignissimos ducimus qui blanditiis praesentium voluptatum deleniti atque corrupti quos dolores.

Uncategorized

Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt.

Uncategorized

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae.